sábado, 28 de novembro de 2009

Irene Carvalho teve a visão de Brasília 40 anos antes da fundação


Irene Martins de Souza Carvalho, a D. Irene da Comunhão Espírita, recebe cartas até hoje. São pequenos bilhetes de gente aflita por notícias de parentes e amigos que a procuram na Comunhão, que ajudou a fundar na L2 Sul. Há 45 anos, surpreendendo os parentes evangélicos, ela decidiu abraçar a causa espírita que a impressionava desde menina.

Irene chegou em Brasília em 1960. O marido, Mário Carvalho, veio antes com um irmão, em 1958, para definir onde seria a filial da goiana Casa do Barata. O endereço escolhido foi na 506 Sul. A famosa loja de ferragens funcionou até 1995, quando fechou suas portas. A força de seu nome, no entanto, assim como o símbolo da loja, um serrote luminoso, é lembrado por muita gente até hoje.

O ano de 1959 foi dedicado à edificação do prédio de quatro andares: subsolo, térreo e dois andares para a residência da família. Foram inúmeras as idas e vindas até Goiânia- por uma estrada de terra em quase toda a sua extensão, para visitar a família.

Aos poucos, recorda Irene, a cidade ia ganhando forma. Havia inaugurações frequentes de lojas, bancos, bares, sorveterias, casas de doces. Tudo com muitos fogos de artifícios e coquetéis para todos. Era um clima de festa permanente a fazer contra-ponto a poeira- quando o clima era seco, e a lama- quando a chuva era intensa. Muita gente ficava desiludida ao chegar, diz Irene, imaginando que a cidade estava pronta, e encontravam um canteiro de obras.

A visão

Irene conta que viu Brasília 40 anos antes da cidade ser inaugurada. “Eu devia ter uns 13 anos, acordei de madrugada e tive a visão de uma cidade diferente, futurista, e uma voz me disse ‘esta é a cidade um novo tempo, e você vai morar lá’. Quando cheguei em Brasília, em 1960, tive certeza de que era a cidade da minha visão”.

Junto com o marido, Irene fundou o Nosso Lar, no Núcleo Bandeirante, que abriga crianças em situação de risco. São 90, de várias idades. Ela também é autora de teatro, com 36 peças encenadas, todas com a temática espírita como pano de fundo, e também escreve livros. Na visita que fizemos ao seu apartamento para esta entrevista, ela nos presenteou com o livro de sua autoria “Amanhã será outro dia” – pelo espírito Franco Leal.

20 comentários:

  1. Erasmo Almeida Junior3 de dezembro de 2009 20:04

    Dona Irene é mesmo uma pessoa iluminada! Estar ao seu lado nos acende a luz da paz, da segurança.Parabéns por terem entrevistado essa grande personagem de nossa capital! Dona Irene é um caminho de luz a nos guiar a alma!
    Erasmo Almeida Junior

    ResponderExcluir
  2. Que surpresa linda encontrar essa reportagem com a dona Irene!!! E que bom saber que ela teve a visão da capital federal tão antes de sua inauguração!Seu Mário e dona Irene sempre formaram um lindo casal! Que a história de ambos esteja sempre viva na história de Brasilia!
    Maria Vitória, Cláudio e Maria Eduarda

    ResponderExcluir
  3. A Casa do Barata é parte da história de todos os que,hoje, têm perto de 50 anos. Era a loja que tinha de tudo.Seu Barata era sempre alegre a nos receber em seu balcão. Dona Irene, que, ainda hoje, entrega sua vida em prol do outro, continua como a mais linda alma que essa cidade conheceu.
    Nosso carinho por eles é imensurável!
    José Antônio L. Batista e Regina Célia

    ResponderExcluir
  4. Estou feliz ao ler a entrevista com dona Irene Carvalho. Alma linda e um coração generoso, tem em seu ser o lema "servir é um privilégio" o que ela faz muito bem.
    Conheço dona Irene e me sinto um privilegiado ao ter passado bons momentos com ela em parte de minha vida. Uma mulher guerreira, de fibra e, repito, uma alma iluminada que tem ajudado tanto outras almas com sua capacidade espiritual e sua mediunidade.
    Um grande abraço para a minha querida dona Irene. Brasília deve se sentir orgulhosa pelo casal que chegou aqui e através da Casa do Barata, Comunhão Espírita de Brasília e Nosso Lar, praticou sempre a solidariedade e o amor. Senhor Mário Barata (que já nos deixou) e dona Irene Carvalho, me orgulho de vocês.
    Jorge Luiz Vargas
    Niteroiense de nascimento e Brasiliense de coração.

    ResponderExcluir
  5. Seu Barata e dona Irene são nossos exemplos de integridade, dignidade, lisura! Brasilia deve muito a esses dois pioneiros! E nós,que tivemos a felicidade de conhecê-los,devemos enxergá-los como exemplo!Foram os pioneiros que não se deixaram contaminar pela falcatrua,pelo roubo,pelo enriquecimento!
    Temos orgunlhos demais de vocês!
    Paulo Roberto,Sandra e filhos

    ResponderExcluir
  6. A linda dona Irene foi quem, em sua imensa sabedoria, me ensinou a ser feliz.Um dia me disse, de forma ardidamente objetiva:"olhe para os lados e veja quanta gente sofre e sonha em ter um milésimo do que você tem!Mexa-se e pare de reclamar, só assim é possivel ser feliz!"
    Obrigado por ter me puxado a orelha na hora certa e na dose correta.Amo você.
    M.E.A.

    ResponderExcluir
  7. Paulo Roberto- que eu não conheço- disse a melhor frase: dona Irene e seu Mário Barata são figuras raras, raríssimas nesses 50 anos de Brasília.São pessoas que chegaram aqui como cidadãos de bem, e dedicando-se ao próximo durante toda uma existência,nos deixaram a ética como melhor lição.Obrigada aos dois! E parabéns ao blog por publicar uma reportagem com uma mulher tão maravilhosa quanto a dona Irene! Senti falta de uma linda foto dela!
    Neuza S. Lima e Rubem Lima

    ResponderExcluir
  8. Que lindo ver dona Irene nessa entrevista.Ler sua história é como assistir a um lindo filme de amor. Dona Irene é a própria lisura, a correção, a integridade!Feliz de quem,como eu, tem a sorte de tê-la por perto!
    Claudia B.C. Alencar

    ResponderExcluir
  9. Eneida e Luiz Antônio12 de dezembro de 2009 17:40

    Assim que soube desse site e da notícia de dona Irene,não tive dúvida: ela dirá uma peraltice! Dito e feito: contou ter tido a visão sobre Brasília tantos anos antes de sua inauguração.Ela é mesmo assim: uma alma sempre vigilante, sempre pronta a uma palavra de apoio, uma brincadeira, um incentivo, uma novidade!...Como já disseram alguns fãs em mensagens já postadas, Brasília merece uma pioneira como dona Irene!Brasília e todos nós a teremos viva em nossos corações eternamente!

    ResponderExcluir
  10. Brasília deve muito à dona irene e ao seu Mário.Conheço o orfanato Nosso Lar e acredito que, alí, está fincada a certeza de que é possível salvar vidas de forma humana!Fiquei feliz em ver dona irene lembrada nessa comemoração dos 50 anos de Brasília!Dona Irene é mesmo uma pessoa especial!

    ResponderExcluir
  11. Dona Irene, a senhora é simplesmente o máximo! O máximo!!!!!Tudo o que já disseram nesses recados ainda é pouco, quase nada diante da grandeza de sua figura! A senhora é o máximo!

    ResponderExcluir
  12. D.Irene, surpresa encontrar sua história nas Cartas de Brasília. Lembrar da alegria de ter compartilhado e aprendido muito com a Senhora e Seu Mário. Estar atento, cuidar do próximo foi missão cumprida com amor e dedicação pelos dois, trabalho que a Senhora prossegue com dedicação. A Senhora é uma pessoa linda!!!!
    Carinho grande, agradecimento maior ainda.
    Valéria Vasconcelos Padrão

    ResponderExcluir
  13. Gostaria muito de ter uma conversa com dona Irene. Estou pequisando sobre a história do Esperanto em Brasília, e a dona Irene pode me ajudar. Afinal, ela foi também fundadora da Associação Brasiliense de Esperanto. Como fazê-lo. Alguém me ajuda? Abraço fraterno. Eurípedes( euripedes-barbosa@ig.com.br).

    ResponderExcluir
  14. É emocionante ver todas as histórias de dona Irene. Acredito que ouvi-la é sempre uma nova lição de vida, de perseverança, de alegria, de otimismo. Concordo com os que já registraram aqui suas opiniões: ela e seu Barata são nossos belos exemplos de ética, correção, lisura.Parabéns a esse site por terem uma reportagem de dona Irene.

    ResponderExcluir
  15. Ana e José Aparecido26 de dezembro de 2009 14:02

    Foi com alegria que soube sse site, onde estão retratados pedaços da história de todos nós. E nos emocionamos ao saber que dona Irene teve essa visão de Brasília! Conhecemos dona Irene na Comunhão, onde ela sempre desenvolveu um lindo trabalho. Brasília deve, de fato, muito a ela e ao trabalho que sempre desenvolveu em prol de todos aqueles que precisam de um doce abraço e de uma palavra de alento.
    Parabéns ao site!

    ResponderExcluir
  16. Soube hoje desse site e, com imensa alegria, vi essa reportagem com a dona Irene Carvalho! Compartilho de todas as opiniões emitidas aqui. Quem, com mais de 40 anos de idade, não conhece a Casa do Barata? E dona Irene e seu Mário são nomes que embalam nossos corações!Fiquei orgulhosa em saber que Brasília já fazia parte dos sonhos de Deus, e que dona Irene teve a felicidade de vê-la, tanto tempo antes de sua inauguração!Todas as reportagens desse site são muito bem escritas!

    ResponderExcluir
  17. Acho que Brasilia merece uma cidadã linda como dona Irene. E dona Irene merece ser homenageada por todos os espaços que decidirem falar dos 50 anos da capital.A Casa do Barata foi um ícone! Seu Barata e dona Irene deixaram de fato sua marca pela integridade e pela dedicação ao próximo.O siote está muito bom ,com boas reportagens.Emociopna-nos ver esse tipo de iniciativa.

    ResponderExcluir
  18. Alexander A. M. Viegas30 de dezembro de 2009 22:44

    Ao conhecer o NOSSO LAR,entendi o que quer dizer cidadania.Isso aconteceu 26 anos atrás.Seu Mário- ou seu Barata- me apresentou esse lar dizendo que, ali,não viviam crianças abandonadas mas, sim, crianças acolhidas e amadas.Isso foi uma lição de vida.Seu Mário e dona Irene são o parachoque de Brasília, essa cidade tão carente de ética, assim como todo o nosso país de hoje em dia, comandado por uma equipe tão carente de decência e ética.Que Brasilia faça as horanras à dona Irene!

    ResponderExcluir
  19. Sempre gostei de ouvir dona Irene falar....sobre a doutrina, sobre a vida, sobre a eternidade.....o site deveria estender essa matéria jornalística com dona Irene, permitindo que ela fale mais sobre o que tudo o que todos nós gostamos de ouvir....é uma sugestão.Ela acrescenta muuuuito em nossas vidas, a cada parágrafo que escreve em nossas almas.

    ResponderExcluir
  20. Nossa, cai nesse site por acaso, linkando dona Zilda Arns, e a tragédia do Haiti. E me deparei com coisas fantásticas: dr Celio Menicuci, tão antigo e tão divertido!, a desistência de Niemeyer em se candidatar....verdadeiras pérolas! mas me emocionei ao ver dona Irene aqui!!! Tão linda, tão doce, tão querida! Dona Irene nos ensina a navegar por tempestades, a respirar sob escombros, a entender como é passageira nossa vida por aqui. Dona Irene é uma luz em vidas que,como a minha, passarão por turbilhões de dores e dissabores. Obrigada dona Irene, por ter me ensinado a viver de outra maneira, aceitando a felicidade possível. Parabéns ao site, com reportagens tão deliciosas e pertinentes!

    ResponderExcluir