quarta-feira, 14 de outubro de 2009

A carta de Soni a JK e o telegrama do Presidente


Aversoni Gonçalves Homar, conhecida como Doutora Soni, chegou no que viria a ser Brasília no dia 15 de março de 1958, com quatro filhos. O marido, João Alcides Homar, arquiteto, veio um pouco antes, em dezembro de 1957, ficou hospedado no Hotel Souza, no Núcleo Bandeirante. Tinha um bilhete do governador de Goiás, Juca Ludovico que o recomendava a Bernardo Sayão.

Naquele tempo, João era desenhista. Soni era atriz de palcos e de rádio-teatro, além de diretora da Ala Moça do PSD, em Goiânia (GO), onde moravam na rua Jaraguá, 656, bairro Campinas, depois deixarem Minas Gerais. Ambos tinham pouco mais de 20 anos. Hoje ela está com 75 e ele 76.

Um pouco antes de João desembarcar no Planalto Central com seu bilhete, Soni escreveu em segredo uma carta para o presidente Juscelino Kubitschek pedindo emprego para o marido nas obras de construção de Brasília. Dentro do envelope colocou uma cartinha do deputado Arlindo Porto, seu padrinho de casamento, para mostrar que era ligada ao PSD e, portanto, gente de confiança. No final da correspondência a JK, Soni pedia a devolução da carta do deputado.

O encontro com Sayão, que o empregou na equipe de Lúcio Costa, sob as ordens do arquiteto Adeildo Viegas de Lima, aconteceu antes da carta de Soni ser lida por JK.

Mas assim que recebeu a correspondência, no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, JK mandou que seu sub-chefe da Casa Civil, Célio Tácito, enviasse o seguinte telegrama para Soni:

2150 P XV Rio DF 7444 43 30 17


Aversoni Gonçalves Homar Rua Jaraguá NR 656 Campinas GO


SR. PTE Republica incumbiu me comunicar assunto sua correspondência foi encaminhada CIA Urbanizadora Nova Capital em 29 1 58 a fim de ser devidamente apreciado PT PR 4147/58 SDS Célio Tácito Sub Chefe da PTE Republica.

João conseguiu também esse emprego, mas não assumiu. O outro, com Lúcio Costa, tinha salário melhor.

2 comentários:

  1. Meus avós são tudo na minha vida!

    ResponderExcluir
  2. Ela é minha tia avô. Irmã do meu avô Oreslino Modesto mais conhecido como "Nenêm Modesto".

    ResponderExcluir